Altenburg - Bem dormir Bem viver
11
agosto

Sonhe, que te faz bem!!!

Ah, os sonhos…quanto mistério em torno desse tema. Quando são agradáveis, são capazes de alterar nosso humor para melhor. Quando remetem a momentos estressantes ou ressaltam medos, podem afetar até a qualidade do sono e nos deixar com uma sensação de cansaço no dia seguinte.

Entender um pouco sobre o papel dos sonhos, no âmbito psicológico, nos leva ao autoconhecimento e saber que eles aparecem em determinadas situações, nos faz refletir sobre a nossa qualidade de vida.

Segundo os psicanalistas, o sonho revela nossos desejos reprimidos e pode também indicar situações que não conseguimos confrontar na vida real.  A psicóloga Márcia Linhares explica que ao sonharmos, lidamos com materiais do inconsciente e que os personagens que aparecem nesse momento do sono são apenas uma simbologia de forças que precisamos ter para enfrentar os acontecimentos do  dia a dia.

O fato de termos sonhos embaralhados, por exemplo, é na verdade uma espécie de autodefesa do nosso cérebro que acessa conteúdos tão difíceis de entendermos, que são apresentados de forma confusa, para nos causar menos impacto. É por isso que as análises baseadas nos sonhos estão relacionadas ao momento de vida pelo qual passamos.

Se vivemos um período em que dormimos menos, o sono se torna mais intenso, estimulando mais a atividade cerebral. Essa dinâmica é a responsável por tornar os sonhos mais numerosos e mais vívidos, de acordo com o neurologista Mark Mahowald, da University of Minnesota, e diretor do Minnesota Regional Sleep Disorders Center, em Minneapolis.

Em condições normais, porém, todos nós podemos sonhar de quatro a seis vezes por noite, na fase REM, quando o sono é mais profundo. O fato de não nos lembrarmos dos nossos sonhos, no entanto, ainda não é completamente sabido, mas conforme entrevista feita com o Dr. Flávio Alóe, médico neurofisiologista clínico, membro do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas, para o site do Dr. Drauzio Varella, a função do sonho é realizar uma limpeza neuronal, retirando as informações em excesso ou inúteis. Só permanecem aquelas que representam um evento traumático, de caráter repetitivo e que acaba transformando-se num transtorno do sonho.

Seja simplesmente uma manifestação elétrica do cérebro ou manifestações do nosso inconsciente  sobre o nosso comportamento, o sonho é fundamental para o desenvolvimento de todos nós e indica que nosso organismo funciona bem, uma vez que ele aparece quando atingimos estágios mais profundos do sono. Dessa forma, não é exagero dizermos que para sonhar é preciso #bemdormir !

Fotos: Reprodução

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

VEJA TAMBÉM


Quatro dicas para cuidar bem do seu travesseiro
Problemas para dormir no verão? Três ajustes simples podem ajudar
Vai casar em 2018? Confira dicas para fazer a lista de presentes
Como deixar a sua toalha bem cuidada na praia ou piscina
1234